terça-feira, março 24, 2015

Você começou a frase com "eu fui embora porque" e eu te interrompi para dizer que não se pode ir embora de onde nunca se esteve. Você não foi embora porque você nunca esteve aqui.

segunda-feira, outubro 13, 2014

"Penso que lemos muito subjetivamente. Lemos aquilo de que precisamos. (...) Compreende, não posso dizer que Simone de Beauvoir seja má escritora, mas posso dizer que não me enriquece. O que é uma afirmação totalmente diferente. E penso que isso varia muito."
Anaïs Nin

A formação de indivíduos com aversão/preguiça/desinteresse pela leitura é de total responsabilidade das escolas e seus métodos pedagógicos falhos. É uma burrice descabida obrigar um adolescente a ler os - tão! - ditos clássicos da literatura brasileira. Machado de Assis é um pé saco para mim, que sou adulta, devidamente esclarecida e nutro o hábito da leitura. Chato, datado, prolixo, excessivamente descritivo. Imagine se alguém durante a adolescência, a fase mais egocêntrica do desenvolvimento humano, quer ler laudas sobre o lenço que a dama deixou cair enquanto pegava o bonde. Enquanto as escolas não incentivarem seus alunos ao contato com uma literatura que compreenda seus respectivos universos, livros nunca serão referência de prazer.

domingo, setembro 14, 2014

"Na Ilíada, Homero nos fala do corcel indomado que desesperadamente luta contra as correntes que o tornam cativo e, uma vez liberado, corre a galope até o momento em que pára, no lugar em que se "sente bem", o lugar que lhe confere "identidade" – seu ethos. Assim, ethos é morada."

sábado, agosto 30, 2014

Paixão (em grego Pathos, da qual ironicamente deriva-se a palavra Patologia) é quando eu desço 10 graus na escala evolutiva da humanidade só para conversar com o sujeito (e acho bom).

sexta-feira, agosto 15, 2014

Engraçado como Eduardo Campos ganhou milhares de admiradores indignados e se transformou na grande salvação da política brasileira. Neguinho morre todo dia. Nas filas dos hospitais. Nas balas que se perdem e nas balas que se acertam. Cai da construção depois de erguer no patamar quatro paredes sólidas, como já bem cantou Chico Buarque, e morre na contramão atrapalhando o tráfego. Deixa viúva, também. E às vezes mais de cinco filhos. Suspende o sensacionalismo.

quinta-feira, julho 17, 2014

Não conheço nenhuma pessoa mais interessante que eu. Há muitas, certamente, nalgum lugar por aí. Não duvido. Eu é que nunca as conheci.

sexta-feira, julho 11, 2014

Você sabe que realmente teve uma grande ideia quando no dia seguinte ela continua lhe parecendo uma grande ideia.

domingo, junho 01, 2014

Sobre o nosso folclore fantasiado de love story: inutilmente me queixo a todos os deuses, a todos os padres, tagarelo angústias, discorro laudas sobre nossos tantos anos de desperdícios, entrevisto nossos lençóis para que eles opinem a nosso favor. Expurgo todos os meus ais. E, mais tarde, quando porventura tocarem no seu nome e eu puder ouvi-lo sem sombra de tortura chinesa, serei breve e direi apenas: você demorou muito em mim.

terça-feira, abril 22, 2014

Leonard Cohen:

There is a beautiful moment in the Bhagavad Gita Arjuna. The general. The great general. He's standing in his chariot. And all the chariots are readied for war. And across the valley, he sees his opponents. And there he sees not just uncles and aunts and cousins, he sees gurus, he sees teachers that have taught him; and you know how the Indians revere that relationship. He sees them. And Krishna, one of the expressions of the deity, says to him, "you'll never untangle the circumstances that brought you to this moment. You're a warrior. Arise now, mighty warrior." With the full understanding, that they've already been killed, and so have you. "This is just a play. This is my will. You're cuaght up in the circumstances that I determine for you. That you did not determine for yourself. So, arise, you're a noble warrior. Embrace your destiny, your fate, and stand up and do your duty."

sábado, março 08, 2014

Os fatos são apenas o que você designar a eles em termos de tamanho, grau de importância, repercussão, consumo mental. Fazemos dos acontecimentos o que bem decidirmos.