segunda-feira, novembro 30, 2009

"O que quer dizer 'pensar em alguém'? Quer dizer: esquecê-lo (sem esquecimento a vida é impossível) e despertar freqüentemente desse esquecimento. Por associação, muitas coisas te trazem para o meu discurso. 'Pensar em você' não quer dizer nada mais que essa metonímia. Porque, em si, esse pensamento é vazio: eu não te penso; simplesmente te faço voltar (na mesma proporção que te esqueço)."

Roland Barthes é uma delícia com seus Fragmentos de um Discurso Amoroso. (Alguém leu o livro que hoje tenho em mãos antes do meu nascimento. Colocou a data. Eu ainda não existia e alguém estava lendo um livro que acabaria na minha prateleira. Isso me chocou mais que qualquer fragmento. Tenho como costume chocar-me.)

mudando de idéia - parte II

(descartar também calorzinhos - porque têm fome, crescem rapidamente e transformam-se no calor progenitor, o mesmo que você sabiamente descartou. somente preservar a espécie calor-anão, que não cresce e tem filhotes da mesma condição genética.)

sexta-feira, novembro 27, 2009

Longe do berço: às vezes é muito difícil.
E por que não volta pro aconchego?
Porque às vezes não.
"De vez em quando Deus me tira a poesia.
Olho pedra, vejo pedra mesmo."
Adélia Prado

quarta-feira, novembro 18, 2009

Estante Virtual é um site muitíssimo engraçado. "Livro comido de traça da pág 231 até a 236, alguns pontos amarelados, capa em brochura com certa sujidade". No final da descrição, a seguinte frase: livro em bom estado. Aham.

Quando eu clico em algum escrito "estado razoável" imagino que o livro não conseguirá chegar até minha casa, corre sério risco de deteriorar-se pelo caminho. Receberei um saquinho de pó, talvez.

Acesse já e compre seu livrinho em estado de putrefação custando menos que uma pastilha de hortelã Garoto. Eu acesso. E me sinto fazendo um bem para a humanidade, é quase como adotar uma criança em estado vegetativo. (Pausa para que você responda: mimimi ai que humor negro mimimimi.) Acho digno. E altruísta.

segunda-feira, novembro 16, 2009

Amar é perceber. Desamar é desperceber. E ponto final.

Desmistificando:

César tocou meu ombro nu para avisar que a hora havia chegado. Terminei de mastigar alguma coisa que eu não lembro o que era, talvez uma ausência. Eu, Aurora, quarenta e dois anos mastigando ausência nas entrehoras do dia, um coque pomposo no alto da cabeça e duas pérolas nas orelhas. Eu, Aurora, cem anos de sono. E viveram felizes para sempre. É mesmo? Não. E o príncipe? Que príncipe, meu bem, que príncipe? Filipe! Aurora, dois anos de olhos fixos na parede, duas vezes abriu a boca para responder, fechou. Apagou o resto do cigarro e finalmente cortou o longo silêncio, ora, eu não sei de Filipe, você está vendo algum Filipe aqui? Perdoem, ela está muito magoada com o divórcio, vocês sabem, é muito difícil. Não estou magoada, César, estou mesmo é puta da vida porque tenho que pagar um advogado para tirar com muito esforço daquele babaca o que é meu por direito. Dizem as más línguas que pegou o príncipe com uma das empregadas do castelo. Não pergunta isso, pega mal. Tá bem, tá bem. César, meu martini. Acabou. A senhora tem enfrentado dificuldades financeiras? Ora, por favor, senhora não! Toque na minha coxa para ver como continua firme, pode tocar, não precisa ter medo, o que você vai fazer mais tarde?



Aurora, 42 anos, depois do THE END divorciou-se do príncipe Filipe e trabalha numa casa noturna. Atende pelo nome de guerra A Bela Adormecida.

quinta-feira, novembro 12, 2009

Eu acho todos nós muito corajosos andando por aí diariamente expostos a todo tipo de amor, assalto, competição, raio ultravioleta, egoísmo, carinho, barata, paixão, possibilidade, grito, rejeição, gripe.

terça-feira, novembro 10, 2009


Um filme essencialmente poético sobre desconstrução. Admiro quem conhece a beleza e sabe como conduzi-la. Admiro quem sabe do que eu estou falando. A única dúvida é o que Cauã Reymond está fazendo ali, fica uma vontade doida de perguntar: você está perdido?

segunda-feira, novembro 09, 2009

Eu me senti num daqueles programas de auditório, surda, numa cabine:
- Alô Natasha, você quer trocar tudo que você tem por uma bala de tamarindo?
- SIM! - eu respondia sorridente.
A platéia ia ao delírio, obviamente.

quinta-feira, novembro 05, 2009

- Vocês são indiscutivelmente mais inteligentes que a média. Estou tão tocada com essa conversa que desconfio que vocês sejam seres de outro planeta enviados à Terra somente para transmitir sabedoria. Olha só, estou toda arrepiada! Eu gostaria mesmo de ficar, o papo está realmente muito bom mas lembrei que preciso ir embora. É uma pena. De toda forma, muito obrigada pela oportunidade de dividir uma mesa de bar com vocês. É sempre uma honra discutir o que é arte, um assunto assim super astral. Eu nem mereço tanto. Bom, vou logo antes que eu comece a chorar.

quarta-feira, novembro 04, 2009

mudando de idéia

(preservar apenas calorzinhos, filhotes do calor destrutivo que já experimentei na pele e descartei para não morrer)

TOP 10 pavorzinho - pessoas

1) Casal que fala com voz de bebê. Ou qualquer outro retardamento do tipo. Sou super a favor mimos e nhemnhemnhens de casal. Sou super contra virar um débil mental. Existe - juro! - uma mulher que diz "né, mô?" ao final de cada frase, seja ela qual for.
- A Bovespa fechou em alta, né mô? - aí coloca a mão no joelho do namorado. O mô (!!!) responde "é, mô". Imagine isso durante uma noite inteira, por favor.

2) Inconvenientes. Se você liga quinze vezes seguidas para alguém que não te atende, você é inconveniente e eu quero que você morra.

3) Gente que não tem solução. O dito cujo te apresenta um caso a ser resolvido e imediatamente começa a minar todas as cento e vinte possibilidades que você sugere como solução. Tenho vontade de responder: então se joga da ponte Rio-Niterói. Certamente ele responderia que nhemnhemnhem não vai dar porque estou desempregado e sem dinheiro para o combustível nhemnhemnhem é muito longe nhemnhem. Então cala a boca e vai me fazer um café.

4) Amebianos. Coloque um amebiano sentado no Central Park no outono. Depois coloque-o no meio de uma guerra no Iraque. Depois tranque-o dentro da geladeira. Depois jogue-o do terceiro andar de um prédio. Depois dê quinhentos mil dólares a ele. Depois. Enfim, certamente ele responderá para todas as opções: legal. E não perguntará por que você está fazendo aquilo. Juro. Amebianos faltaram aquela aulinha de física, toda ação tem uma reação e blá-blá-blá. Alguns babam.

5) Gente que quer ir embora antes de chegar. Sempre tem aquele que, se por exemplo salta de um ônibus, anuncia: para voltar temos que pegar naquela rua de trás. A minha vontade é ir voltando de costas, engatar a marcha ré até a porta da minha casa. Broxante. Geralmente é o mesmo que, num outro dia, anuncia que só vai poder ficar três horas e meia porque tem que alimentar a lhama ou algo assim. Minha educação não permite que eu diga: então vai logo.

6) Gente perfeita. Há uns anos eu tinha uma amiga perfeita. Lembro que ela tinha um jeito especial de pegar uma caneta no seu estojo para não desorganizar as outras. Naquela época ela queria fazer psicologia na UFRJ. E faz. Estudou, passou. Arrumou um namorado bonitinho que parece muito com ela, fisicamente. Combinam. Não duvido nada que tenha escolhido pensando nas características genéticas dos filhos. Juntam dinheiro para viajar todas as férias. E viajam. Conseguem juntar dinheiro conforme planejaram. Nunca comete um impulso, nunca sai da linha, nunca se exalta, nunca perde a razão, nunca desmarca um compromisso - e ai de você se desmarcar! É muito difícil discutir com ela porque ela está sempre certa e te apresenta um estudo minucioso de tudo que você disse às três horas da manhã do dia nove de dezembro de mil novecentos e sei lá o quê. Vai casar. O casal está juntando dinheiro para comprar um apartamento. E vai comprar, óbvio. Provavelmente terão um cachorro labrador. As últimas notícias eu tenho através de terceiros, não falo mais com ela porque minha paciência tem limites.

7) Gente que tem vergonha de tudo. "Compra meu anticoncepcional? Eu tenho vergonha." Fato real.

8) Gente que não tem vergonha de nada. Aquela que acha normal colocar o peito para fora e alimentar o bebê no meio do shopping.

9) Espíritos evoluídos. Você acerta um tapa no sujeito e ele te dá uma flor. Depois deseja que você seja feliz. Acho um saco essa gente que está fazendo cursinho pra Dalai Lama. E acho "olho por olho, dente por dente" muito fraquinho. Se você furar meu olho, provavelmente eu vou querer furar os seus dois, depois perfurar seus tímpanos e comer seu fígado no jantar. Ou outro órgão da minha preferência, não sei. Depende do meu apetite.

10) I wanna be Natasha Pinto. Nunca serão.