quarta-feira, dezembro 30, 2009

ALÔ 2010,
TE QUIERO CON LIMÓN Y SAL!

Feliz ano novo para mim. Para vocês, não.

segunda-feira, dezembro 28, 2009


Shia LaBeouf me ganhou cem vezes, há muito tempo eu não assistia a uma atuação tão delicada; debulho-me em lágrimas por aqueles olhinhos ternos. Um filme fluído, soltinho, gostoso. Poucos os que deram bola fora, os que decepcionaram. Uma fofura. Bem melhor que "Paris, Eu te amo", sim senhor. Andy Garcia continua um homem lindo, apesar dos anos, sim senhor.

sábado, dezembro 26, 2009

25/06/09

é que eu sempre fui muito derramada

22/04/09

V

- O que você vai comer?
- Nada, estou sem fome.
- Então o que você veio fazer aqui?
- Pode fumar aqui dentro, não pode?
- Não.
- O que você vai comer?
- Você.
- Eu não estou no cardápio.
- Está sim, olha aqui: galinha.
- Galinha é a sua mãe.
- Você é a minha mãe. Uma noite você abriu as pernas e, paf!, eu nasci.
- Sério?
- Aí noutra noite você disse que não me queria mais.
- Que coisa horrível!
- É, não sei o que eu vim fazer aqui.
- Você veio me dizer que eu sou uma péssima mãe.
- Vamos falar sério.
- Não estamos falando?
- Eu não quis te magoar, desculpe, foi uma comparação infeliz. Quer que eu pergunte ao garçom se você pode fumar aqui dentro? Quero ser seu amigo, vamos ser amigos?
- Quer dizer que não estávamos falando sério?
- Como assim? Por que você está chorando?
- Porque eu tinha acreditado.
- Acreditado em quê?
- Naquilo que você falou. Que eu te pari.
- Puta merda! Você quer me enlouquecer! Você não vai conseguir, você não vai conseguir me enlouquecer, entendeu bem?
- Por que você mentiu pra mim?
- Pára de chorar, todo mundo está olhando pra cá!
- Eu nunca pensei. Eu nunca pensei que você fosse capaz de mentir pra mim.
Mas sou daquelas que tudo sentem e para quais tudo custa.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

- Meus demônios estão de férias. - eu me respondo quando questiono o fato de não escrever há um mês. - Em Ibiza. - aí sorrio.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Eu não aguento os que resolvem sofrer pelo mesmo motivo ad eternum. Não tenho saco. Bateu o reloginho, chega. Cessou. Já deu. - Do que você é feita, mulher? - pergunto ao te ver desmanchando-se pela quadragésima vez no mês. Quer sofrer? Tá legal então, mas sofra direito. Fica aí sofrendo toda troncha. Postura! Se melecar é coisa de amador. O principiante, explico e rio, não o que ama. Você pode até quebrar tudo, encostar na parede e ir descendo assim com a mão no peito, aos prantos. Chico Buarque cantando que se arrastou, e arranhou, e se agarrou nos cabelos, nos pêlos, no pijama. Acho bonito, acho válido. Em casa. E uma vez a cada quinze dias. Todo dia vira palhaçada. Na rua, então, nem se fala. Abaixe os óculos escuros e responda que não tem nada quando te perguntarem. Quer fazer cena, faça direito. Ficar se lamuriando é um enjôo. Não se trata de sofrimento falso, eu te explico quando você me acusa de fazer teatro com a vida, só estou te aconselhando a sofrer em outro tom. Mas se você quer ser cafona, problema é seu: liga Mariah Carey cantando I'd give my all to have just one more night with you e deixa o catarro escorrer, vá lá.

domingo, dezembro 13, 2009

Eu tenho nojo de quem mastiga chiclete. Não consigo achar normal um indivíduo colocar uma massa de borracha na boca e dar dentadas consecutivas enquanto fala com você. A borracha, que vai perdendo a cor, banhada de saliva. Passeia pelos cantos da boca. Eis que surge uma bola. Ploc. "E cospe esse chiclete, por favor."

segunda-feira, dezembro 07, 2009

"— E você aceita tudo isso assim quieto? Não reage? Por que não lhe dá uma boa sova, não lhe chuta com mala e tudo no meio da rua? Se fosse comigo, pomba, eu já tinha rachado ela pelo meio! Me desculpe estar me metendo, mas quer dizer que você não faz nada?
— Eu toco saxofone."

Lygia Fagundes Telles que eu lembro em horas como estas.

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Só quero dizer que estou toda boba. É o que têm dito e eu assino embaixo. Estou mesmo. Boba. Toda.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

"Vela inteira não me ilumina,
Cotoco de vela quer me iluminar?
Chuva grossa não me molha,
Sereno quer me molhar, meu senhor?"