terça-feira, março 30, 2010

"A estética e a ética para mim não se separam. Eu acho péssimo, por exemplo, o paraíso dos nudistas. Mas não é um problema moral; é estético. Eu não quero ver aquela gente assim. Eu gosto da beleza. Eu não quero ver corpos deformados. Se estão deformados, devem ser escondidos. Não é por moral, portanto, mas motivos estéticos que eu não quero vê-los."

Lygia Fagundes Telles

quinta-feira, março 18, 2010

DiCaprio menstruou!


Eu relutava, mas finalmente tenho que concordar que DiCaprio virou um homenzinho. Teve que tomar muito Biotônico Fontoura, mas chegou lá. Finalmente deixou a categoria que eu chamo carinhosamente de FRANGO.

E o filme é genial, saí do cinema embasbacada - depois, conversando, descobri que todo mundo que assistiu achou tudo muito previsível. Eu sou uma pequena anta.

the IT movie


Eu ainda estou - e certamente ficarei por muito tempo - tentando entender o motivo da alucinação em torno de Guerra ao Terror. E não falo sobre as premiações, é de conhecimento geral que levar um - ou seis? - Oscar para casa envolve uma série de fatores que vão além do filme propriamente dito. Nesse caso, especificamente, é completamente compreensível.

Mas falo sobre a crítica babando, o público babando, todo mundo caiu de quatro por Guerra ao Terror - por quê?

Eu senti falta, por exemplo, de um fio condutor... ninguém mais? Anybody? Nobody? Okay. Nenhuma cena chega a lugar algum, dá pra fazer mil combinações de edição sem alterar em absolutamente nada o teor do filme. Fica aquela impressão reticente, você sabe? O espectador fica muito solto, eu particularmente não sou fã desse tipo de coisa. Há quem seja, pelo visto.

É até um filme válido, acho sim que as pessoas deveriam assisti-lo - mas está muito longe de valer tanto alarde.

Brincando de Audrey Tautou em três lições básicas:


1) contraia os lábios, no matter what.
2) arregale uns olhões pavorosos querendo engolir todo mundo.
3) pronuncie qualquer frase como se você estivesse com muita pressa de chegar ao final dela.

Para início de conversa: Audrey Tautou serve para pegar um bom rodo e limpar o chão da minha cozinha, não pra pagar de Chanel. Eu explicaria com uma frase só: não tem porte. Não é todo mundo que pode interpretar qualquer coisa. São pouquíssimos, aliás, os que podem interpretar qualquer coisa.

E ela nasceu para colocar uma fantasia de Amélie Poulain, ser amiguinha do anão de jardim, se apaixonar à primeira vista, algodão-doce, roda gigante, tobogã, coisas assim. E só, é melhor parar por aí porque qualquer outro papel é uma verdadeira catástrofe.

Mas podem me chamar de louca, podem endeusá-la, podem cometer essas heresias, para mim ela continua sendo uma pobrezinha - e aquela cara de pobrezinha? - que se esforça bastante mas não consegue passar absolutamente nada além de uma expressão de grilo assustado. (Fica o conselho: tenta um filme de terror, amiga.)

Não deve-se esperar nada de Coco antes de Chanel além de Audrey Tautou visivelmente sem saber o que fazer com um papel de mulher hostil. Ela deveria assistir Marion Cotillard interpretando Piaf para ter uma vaga noção de como precisa comer feijão com arroz.

Se você quer realmente saber mais sobre a vida da estilista, vá estudar. Se você quer entretenimento, escolha Alvin e Os Esquilos 2. Em suma, não serve.

El Secreto de Sus Ojos


"El tipo puede cambiar de todo, de cara, de casa, de familia, de novia, de religión, de Dios, pero hay una cosa que no puede cambiar: no puede cambiar de pasión."

Belíssimo.

quarta-feira, março 17, 2010

Eu sinto vergonha alheia pelo Rio de Janeiro.

1) "Integrantes do Cordão da Bola Preta vão participar da passeata do movimento 'Contra a covardia, em defesa do Rio', nesta quarta-feira. A banda-show se concentrará na Candelária, às 15h, para animar o ato público tocando marchinhas carnavalescas."

2) "Aos gritos de 'O petróleo é nosso, haha, huhu' e debaixo de chuva, os manifestantes reunidos na Cinelândia, no Centro do Rio."

3) "Vestido de papa, manifestante foi à caminhada para 'benzer' o Rio."

4) "Já a presidente do Flamengo, Patricia Amorim, afirmou que o clube é a favor do pré-sal e do petróleo: 'O Flamengo é um patrimônio do estado, assim como o petróleo'."

5) "e o grupo de funkeiros Os Havaianos estava entre os que protestaram contra o corte nos royalties do petróleo."

terça-feira, março 16, 2010

Não há nada mais digno que Kristin Scott Thomas matando o ex-marido cuzão em Partir. Taí uma personagem que tem minha admiração eterna, viu. Minha heroína.

Só perde pra Nicole Kidman em Dogville. Finíssima.

diagnóstico:

ouvidos calejados, dedos mudos e olhos ainda muito recatados

auto-medicação tautológica: ingerir-se

quinta-feira, março 11, 2010

Todo mundo que morre vira cool. Se te perguntarem seu estilista favorito, responda Alexander McQueen mesmo que você não saiba de quem se trata. Aliás, responda somente McQueen, dá um ar de intimidade.

Tenho reparado.
Acho digno que as pessoas mostrem logo pro que vieram. Minha vida não é banco de praça pra você ficar sentadão fazendo hora, vendo a banda passar.
Escrever é uma merda. Você nunca consegue dizer o que realmente quer dizer. Imaginável, as palavras são limitantes, mas você não consegue parar de tentar. Aí se dizem que você escreve bem, você quer responder: e daí? Eu não quero escrever bem, eu quero dizer a coisa. O que importa é dizer a coisa, senão ela continua ali dentro - mas a coisa nunca é dita. É uma loucura, uma impossibilidade, a coisa não pode ser dita. O resultado é sempre frustrante. Por isso que todo mundo se mata ou vira jornalista. Escrever a frase "o salário mínimo sofrerá reajuste" querendo dizer que o salário mínimo sofrerá reajuste é, no mínimo, aliviante.

quarta-feira, março 10, 2010


It's Complicated é uma fofura de filme. Há um tempão eu não assistia a uma comédia romântica tão gostosa.

E não é só porque Meryl Streep é minha atriz preferida. Não é só porque Meryl Streep é a atriz preferida de todo mundo. É porque Meryl Streep tem que se candidatar à presidência - e por mim não precisa retirar as tropas do Iraque quando ganhar, só dar aquela risadinha jogando a cabeça pra trás. Meryl Streep acaba de ganhar o mundo por unanimidade. Meryl Streep é maleável. Eu sou Meryl Streep. Você é Meryl Streep. Quem é Meryl Streep? Meryl Streep não existe.

terça-feira, março 09, 2010

segunda-feira, março 08, 2010

and the oscar goes to

O melhor da noite, para mim, foi o superestimado Bastardos Inglórios ter rendido APENAS UM merecidíssimo oscar a Christoph Waltz. Digno. Tarantino, passa já pra casa!

sexta-feira, março 05, 2010

não confio nos que não sofrem de urgências.

fragmento perdido:

Eu deveria te colocar aspas porque você teima em ser apenas uma citação, menção ao nada, referência boba a outra que não eu.

terça-feira, março 02, 2010