terça-feira, novembro 29, 2011

É bonito quando Gil canta que "o melhor lugar do mundo é aqui". Ninguém presta atenção. Ninguém pára. Ah, se vocês soubessem como isso é bonito!

segunda-feira, novembro 28, 2011

"Eu estou cada vez mais Bambi. Adoro comprar flores e acender incensos e fazer pequenas faxinas arrumando cantinhos “artísticos”. Talvez seja um tanto kitsch, mas é a forma — saudável, suponho — que encontrei de reagir não só à feiúra de fora, que é cada vez maior, mas também à feiúra de dentro. Que embora controlada, você sabe, às vezes ameaça explodir."

Caio Fernando Abreu em carta a Maria Lídia Magliani, 25/01/91.
Favor respeitar meu bocejo. Todo despertar é sagrado. Meu corpo namora os lençóis e revira-se para um lado, depois para o outro. Eu sou portadora do direito de alongar os braços e pernas durante o tempo que meus membros julgarem necessário serem alongados. Enquanto isso, minhas pálpebras trabalham lentamente no ato de constatar os arredores. Não me obriguem. Estou amanhecendo.

quarta-feira, novembro 16, 2011

E eu continuo sem saber se todas as crianças são poetas ou se todos os poetas são crianças.

meninices

"As crianças são muito literárias porque dizem como sentem e não como deve sentir quem sente segundo outra pessoa. Uma criança, que uma vez ouvi, disse, querendo dizer que estava à beira de chorar, não “tenho vontade de chorar”, que é como diria um adulto, isto é, um estúpido, senão isto: “tenho vontade de lágrimas”."

Fernando Pessoa em O Livro do Desassossego, seu trabalho mais bonito entre tantos e tantos trabalhos bonitos.

terça-feira, novembro 15, 2011

da série: diálogos inesquecíveis (parte XIII)

Beleza Americana
(Sam Mendes, 1999)



Beleza Americana com seu clássico "olhe mais de perto" deveria estar aqui por inteiro. Um dos meus filmes preferidos, sem dúvida.

segunda-feira, novembro 07, 2011

Deve-se encarar um texto como quem encara um corpo. Em mim, não há outra forma possível.

quinta-feira, novembro 03, 2011

das pérolas no charco (parte II)

"Meu coração faz chica chica boom" é um mimo, uma frase poética e delicada que está desprotegida dentro de um axé da Ivete Sangalo, portanto nunca será notada da forma que merece. Eu gostaria de tê-la escrito. Fernando Pessoa gostaria de tê-la escrito. Meu coração faz chica chica boom. Tenho dó. Um desperdício sem tamanho.