domingo, dezembro 30, 2012

2012 não foi exatamente um ano fácil. Como boa ouvinte, posso dizer que para nenhum dos que me cercam. Não ouço nenhum elogio ao ano que está terminando. Sobre mim, posso dizer que 2012 também não me tratou com a maior doçura do mundo, entretanto sou daquelas que ficam mais bonitas a medida que a guerra fica mais feia. O mundo não se acabou e estou mais viva do que nunca estive. Faço a este ano o primeiro - e talvez único - elogio que ele vai receber: muito obrigada por cada minuto. Sem eles, eu não teria tanto orgulho de ser quem eu sou.
O calor humano é o maior curativo para todas as dores, para todos os males. Eu te convido para sentar mais perto de nós. Ao redor da fogueira não faz frio.

terça-feira, dezembro 18, 2012

De tanto ter que consultar uma agenda preta para os compromissos do dia, resolvi comprar uma agenda branca para anotar as coisas bonitas. Acho justo.

quinta-feira, dezembro 13, 2012

- Vamos escrever?
- Não, estou com sono.
- Por favor, só um pouquinho...
- Já falei que estou com sono, eu quero dormir.
- Levanta dessa cama, vem! Estive pensando, poderíamos escrever um diálogo entre você e o eu lírico, no caso entre você e eu.
- Eu não vou escrever nada, me deixe em paz!
- Você é muito preguiçosa, Natasha. Depois não adianta reclamar quando eu não aparecer, 'tá legal? Estou aqui, cheio de gás, e você jogada nessa cama.
- Eu acordo às 7 horas da manhã! Você sempre escolhe os momentos mais inapropriados pra me atormentar.
- Não custa nada levantar e escrever um pouquinho. Vamos? Eu te faço um café, vai ser tão divertido! Podemos fazer isso a madrugada inteira, como nos velhos tempos.
- Como eu faço pra você calar a boca?
- Você é uma ingrata.
- E você é um inconveniente.
- Estou ofendido. Não volto mais.
- Se é por falta de adeus...
- Olha lá, heim! Depois vai se arrepender de ter me mandado embora.
- Adeus.
Orgasmo é um choque de lucidez. Estávamos no minuto anterior saciando pele, corpo, gemendo, trocando suor, saliva e proferindo frases desconexas. Somos rudimentares. Bichos. De repente, então, aterrissamos em terras reais onde nossa cadeia de raciocínio volta a funcionar de maneira abrupta - e podemos constatar o degradante primitivismo humano.

atrás da porta

Ressentimento é o avesso do bem querer. O outro lado da mesma coisa.

domingo, dezembro 09, 2012

da princesinha do mar


"Pelo pecado de esconderes quem me ama
Ai de ti, Copacabana
Serás submersa ao mar"

Uma daquelas letras lindas que ninguém presta atenção.

segunda-feira, dezembro 03, 2012

Destino é quando te chamam - e você responde embora não saiba de quem é a voz nem de onde vem o som. Destino é instinto. Infeliz daquele que se julga detentor dos próprios passos, que de tão inteligente desaprendeu a farejar.