sábado, novembro 16, 2013

Sobre o que de fato tem que ser, sobre o que lhe é reservado em absoluto, não é necessário nenhum grande gesto ou esforço em prol de. Os acontecimentos é que te procuram, prontos, e te acham desprevenida na próxima esquina. Num rosto, num convite, numa dita coincidência.
Sobreviver a todas as coisas que parecem insobrevivíveis, manter-se de pé, ereta, a cada manhã bater continência a Vida. Cumprir o meu legado, carregar as minhas marcas, as minhas cruzes, gozar com as minhas escolhas, receber os meus presentes, me entregar cá nos braços do meu destino.

sexta-feira, novembro 15, 2013

"A gente aceita o amor que acha que merece."

As Vantagens de Ser Invisível, 2012.
Sobre sentar na pedra e ver navios ilusórios que nunca de fato atracarão no Porto, antigas alucinações afetivas do tempo em que fui menina.

terça-feira, novembro 12, 2013

O lado prático que se adquire ao vivenciar uma grande perda é encarar todas as pessoas como passagem e, além, saber se desvencilhar de cada uma delas sem maiores sentimentalismos destes inerentes a despedidas, descobrir a naturalidade dos desencontros e perdas ocasionais que outrora lhe renderiam rios de lágrimas, se desfazer, mandar um abraçaço, bye bye, au revoir, hasta nunca más, sentar e pedir um café.

segunda-feira, novembro 11, 2013

E, como já bem disse Saramago, "sentir, como perda irreparável, o findar de cada dia".